30.1.13

lanço os dados...

5.8.11

mãos


Gosto de dar o calor às tuas mãos para depois retribuíres com a doçura de um abraço. Gosto que me digas: às vezes as mãos amam primeiro que nós próprios!

20.7.11

gosto...


do teu olhar, do teu sorriso,
da tua mão que passeia no meu peito,
da tua voz, feita sussurro,
"gosto tanto do teu abraço!"
e o murmúrio que me sai tímido,
"gosto da doçura do teu beijo!"

Sensações...


Arde em mim a sensação
Dos minutos sem fim
Como se tudo fosse inspiração
Doce, com sabor a jasmim,
Como se eu fosse alma e coração
E tu pedaço de mim.

Clamo a evidência perfeita
Dos abraços ancorados
Na submissão desfeita
Pelo poder dos corpos suados
Que em cada palavra eleita
Oferecem poemas amados.

Olho o infinito da escuridão
Nesta noite de calmaria,
E sonho com a tua mão
Estendida na periferia
Do meu latente coração
Num gesto de sintonia.

Por instantes, sinto o teu respirar
Bem perto da liberdade
Que a minha mente teima em traçar
Com purpurina e vaidade
Na esperança de ver chegar
O momento da feliz verdade.

E vejo-te, ao longe, a sorrir…
Aproximas-te com lentos passos
Regateando as flores por abrir
Com gestos delicados e rasos
Que fazem lembrar notas a cair
Na pauta musical dos abraços.

És tu, apaixonante,
A vida do meu respirar;
És tu, meu amante,
Alma límpida por amar,
Rosto marcante
Que teima em ficar.


(Natália Bonito)

9.7.11

instantes meus



"gosto de cheirar-te"

22.6.11

desperta-me de noite...



Desperta-me de noite
o teu desejo
na vaga dos teus dedos
com que vergas
o sono em que me deito

É rede a tua língua
em sua teia
é vício as palavras
com que falas

A trégua
a entrega
o disfarce

E lembras os meus ombros
docemente
na dobra do lençol que desfazes

Desperta-me de noite
com o teu corpo
tiras-me do sono
onde resvalo

E eu pouco a pouco
vou repelindo a noite
e tu dentro de mim
vai descobrindo vales.


(Maria Teresa Horta)









estados idos